85 - 3023.9190 | 3032.1666 | 3032.1667
colegiojeminagois@gmail.com
Como Estudar?
Área do Aluno

Se no ano passado você ficou pendurado na escola, cheio de dificuldades e com o boletim mais vermelho que a bandeira da China, calma! Sempre há tempo de recomeçar e fazer tudo certo desta vez. E "certo" não significa se matar de estudar.

Mantenha o cinema no final de semana e nem pense em diminuir as horas de sono. Isso mesmo: um bom estudo não requer noites em claro nem renúncia à diversão. Ao contrário. Boas noites de sono e tempo para o lazer são fundamentais para se manter a disposição para estudar, conforme pesquisas conduzidas pelo cientista Robert Stickgold, da Universidade Harvard, nos Estados Unidos.
Mas, então, qual é a formula mágica para não acabar o ano com a corda no pescoço? Não tem mistério: basta elaborar um bom roteiro de suas atividades e respeitar esse planejamento. 

O primeiro passo é admitir que no passado faltou vontade de aprender. Isso porque o desejo sincero de estar ali estudando interfere decisivamente na concentração que se tem. É o que faz diferença, por exemplo, quando você percebe que não estava prestando a menor atenção em alguma leitura, embora esteja efetivamente lendo frase após frase. "O sucesso nos estudos depende da disposição para a tarefa", diz a psicóloga Adriana Machado, do Serviço de Psicologia Educacional da Universidade de São Paulo (USP). 

"Só quando você está ligado no que está fazendo é que o seu cérebro capta adequadamente os estímulos externos, sejam eles a fala de seu professor ou algo escrito", afirma o neurologista Fernando Coronetti Gomes da Rocha, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu. "O interesse e o desejo de prestar atenção no assunto promovem uma ativação cerebral em níveis que permitem a memorização", diz. 

Mesmo depois de estar concentrado na realização da tarefa, ainda há diversas maneiras de se tornar mais produtivo. Uma delas é estabelecer prioridades para a mente. O maior desafio de um estudante, a prova de vestibular, pode ser vencida mais facilmente com algumas atitudes, como olhar primeiro a prova inteira e realizar os exercícios mais fáceis antes de responder ao resto. "A melhor maneira é encarar uma prova como um jogo de pega-varetas, em que você tira primeiro as peças que não oferecem risco", compara o professor Sezar Sasson, do Anglo Vestibulares, de São Paulo.

Texto Denise Pellegrini e Iana Chan

 

COMO ORGANIZAR UM PLANO DE ESTUDOS

Se estudar de forma organizada nunca fez parte de sua rotina, acompanhe as dicas do psicólogo Sérgio Goldenberg, professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 

Qual a duração ideal de um plano de estudo?

Depende dos objetivos que se quer atingir. Pode-se sempre estabelecer metas de curto prazo. As metas devem estar em sintonia com o ritmo da matéria dada em classe. Quando as metas são cumpridas à risca, sua motivação se mantém em alta.

Quantas horas é preciso estudar por dia?

O estudo pode ser realizado em dois ou três períodos de 2 horas no decorrer do dia. Mais do que isso pode levar a uma fadiga mental.

Como organizá-lo?

Monte uma tabela semelhante ao horário escolar. Marque em cada dia as disciplinas que irá estudar e, conforme a matéria é dada em classe, vá detalhando os conteúdos ou as metas numa tabela.

Como dividir o tempo entre as disciplinas?

Intercale as matérias preferidas com as que não gosta. Evite, por exemplo, estudar Matemática e Física em seguida, já que as duas exigem cálculos.

Como controlar o cumprimento do plano?

Tique na tabela cada tarefa realizada. O que não foi feito no período determinado deve ser realizado em um horário extra na próxima semana. Deixe períodos livres para eventuais reposições, mas evite sempre postergar as tarefas.

 

COMO DEVE SER O ESPAÇO DE ESTUDOS

Detalhes no local em que você estuda podem ter grande influência no seu desempenho. Estudar sempre no mesmo lugar ajuda também a desenvolver uma rotina. Fique atento a essas dicas:

Tira-dúvidas

Dicionários, um comum e outro de etimologia, não podem faltar. "Qualquer que seja a disciplina em questão, eles são úteis para elucidar conceitos", explica a pedagoga Teresa Rego.

Mesa posta

A altura da mesa deve coincidir com a de seus cotovelos quando você estiver sentado. Prefira um móvel amplo, para permitir a organização de todo o material, o que evita ficar se levantando a toda hora para procurá-los.

Luz do saber

O ambiente deve ser arejado e claro. Abra a janela e providencie uma luminária de mesa que permita a incidência direta da luz sobre o que está sendo lido ou escrito. Da ventilação adequada depende o bom funcionamento do seu cérebro e a boa luminosidade vai ajudar a manter a concentração.

Cantinho bom

Estudar sempre no mesmo local facilita a concentração. A mente acaba se educando para realizar as operações necessárias ao estudo quando você estiver ali. Se você não tiver um bom local, bibliotecas são ótimas alternativas.

Espinha ereta

Mantenha a coluna ereta, formando um ângulo de 90º em relação às coxas, e deixe os pés inteiramente apoiados no chão ou num apoio. Essa posição evita que você fique dolorido. É muito mais produtivo escrever ou ler sentado do que deitado. Relaxar num sofá atrai o sono.

Cordão de isolamento

Não custa pendurar na porta uma tabuleta com os dizeres "não perturbe". Não atenda a telefonemas e dispense as guloseimas enquanto estiver estudando. "Conciliar qualquer outra atividade com o estudo desvia sua atenção e prejudica o aprendizado."

Diversão domada

Computador e internet são poderosos instrumentos de estudo. Mas tome cuidado com as tentações. Games e redes sociais são extremamente dispersivos.